Quartel do Glicério

São Paulo - SP

Projeto

2008

Obra

-

Arquitetura

Angelo Bucci

Lucas Nobre
João Paulo M. de Faria

Colsultoria Especial

Alexandre Delijaicov

imagem 01

Vista Aérea do Parque Dom Pedro
Ano 2000 [estimado]


imagem 02

Fotomontagem Ilustra a proposta do Lago no Parque

- unifica o espaço cindido pela construção sem medida e critério da infra-estrutura viária
- anula os espaços residuais e sem qualificação urbana
- resgata a escala grandiosa da várzea
- reconcilia historicamente com a paisagem retratada por Benedito Calixto

O lago, pela sua escala e importância, é um projeto para ser conduzido e gerido pelos escritórios públicos de projeto


imagem 03

[não se constrói no parque]

ao contrário, o parque deve ser aliviado das construções precárias, a oportunidade presente [quartel] inaugura o processo de construção do vazio que segue para aliviar o parque do excesso de viadutos e obras inoportunas que lhe roubaram o espaço e a folga

[destaque: o “lago” não impede a seqüência dessas obras feitas por subtração]

O parque será finalmente delineado nas bordas, inciando pela construção da face da colina histórica.

em amarelo estão destacadas a 18 glebas potenciais [somadas 27.375 m2] que suscitam 18 concursos públicos de projetos. O gabarito de cada um desses projetos prevê: [1] embasamento com pilotis + 4 pisos de comércio e equipamentos culturais, com o [2] topo do embasamento é um terraço livre coincidente com a cota da colina histórica e vinculados a ela, em níveis, por passarelas quando possível; [3] acima do terraço sobre o embasamento estão os edifícios de habitação de interesse social, com área de 75 m2 conforme o padrão estabelecido pela ONU de 15 m2/habitante. Estes edifícios estão dispostos em 3 conjuntos de 4 pisos sobrepostos, têm portanto 12 andares de altura.

em verde estão identificadas 5 glebas que não devem ser verticalizadas para preservar a vista da colina histórica, nelas serão construídos apenas o embasamento com pilotis + 4 pisos.


imagem 04

ilustra a situação [2000] no entorno imediato do edifício do quartel


imagem 05

inserção do lago e planta do edifício do quartel na planta cadastral GEGRAM, 1974

sugere-se:

- construir por subtração
- preservar e ampliar o vazio do parque
- utilizar a transferência de potencial construtivo para configurar a orla do parque com o uso misto e destaque para construção de habitação social
[construir a face da colina histórica com as casas daqueles que historicamente não podiam chegar]
- criar as configurações possíveis e pendentes previstas na lei de operação urbana centro
- preservar tão somente a construção primordial e as alas do quartel que correspondem, no piso térreo, a uma área de 2.435 m2.
- preservar o segundo piso apenas parcialmente, com o rearranjo das vigas e assoalhos de madeira em condições de uso seguro, definindo assim pisos como mezaninos
- cobertura, não sendo original [a confirmar com os especialistas da área] deve ser substituído por cobertura leve, eventualmente transparente, que não se confunda com a técnica e materiais do edifício histórico.
- o uso sugerido é conforme a lei de operação urbana centro, ou seja, culturais e educacionais, e discutido com os escritórios públicos de projeto


imagem 06

inserção do lago e planta do edifício do quartel na planta cadastral GEGRAM, 1974, com identificação preliminar, em amarelo, das glebas possíveis para transferência de potencial construtivo no entorno imediato ao quartel

dados:

13.200 m2 - área do lote do quartel

26.270 m2 – área total [quartel + glebas municipais lindeiras] – área possível de ser considerada na operação urbana e transferência de potencial construtivo

27.200 m2, total da áreas em 18 glebas identificadas preliminarmente para verticalização com transferência de potencial construtivo


Imagem 07

seção da área central da cidade de São Paulo, ilustra a tese de doutorado de Angelo Bucci, FAUUSP 2005, para expor as quatro operações que são conceitos que nortearam as considerações aqui feitas a pretexto do quartel do segundo batalhão


imagem 08

fotomontagem ilustrando o lago no parque

fotografia de Nelson Kon


imagem 09

fotomontagem ilustrando o lago no parque

fotografia de Nelson Kon


imagem 10

fotomontagem ilustrando o lago no parque e a volumetria dos edifícios sugeridos que utilizam a transferência do potencial construtivo da área do quartel para configurar a orla do parque


imagem 11

desenho de Alexandre Delijaicov para o Parque Dom Pedro